IMPACTO ECONÓMICO DO RALLY DE PORTUGAL

Rali de Portugal de 2016 teve um impacto na economia de 129 milhões de euros e foi a prova de maior audiência televisiva no campeonato do mundo, divulgou o Automóvel Clube de Portugal.

“O Rali de Portugal foi o mais visto de todas as 14 provas do campeonato do mundo, em termos televisivos. Só temos a Finlândia perto de nós. Todas as outras provas estão mais afastadas”, disse o líder do ACP.

Segundo dados divulgados, a edição de 2016 teve um impacto económico total de 129 milhões para o país, valor que contribuiu para uma acumulado de 898 milhões de euros nas últimas nove edições do rali.

Carlos Barbosa, presidente do ACP, considera que o aumento deste impacto económico, que se verifica desde 2015, é indissociável do regresso do Rali de Portugal para zona norte do país.

“Foi uma aposta ganha. Efetivamente é no Norte onde o rali tem de estar, não só porque aí estão as melhores classificativas do campeonato do mundo, como estão os melhores fãs, assim como as condições de segurança de excelência”, notou o dirigente.

Carlos Barbosa espera que a fasquia dos 129 milhões de euros de impacto económico possa ainda ser ultrapassada na edição de 2017.

O estudo de impacto económico englobou questionários efetuados a uma amostra de 1.100 espetadores do rali, na edição de 2016, e produziu a conclusão de que 57% dos espetadores são não residentes em Portugal, oriundos de 14 nacionalidades, sendo que a maioria vem de Espanha.

Desses visitantes, mais de um quarto ficaram em Portugal para além da prova, atraídos por fatores como a paisagem, clima, hospitalidade e gastronomia, revelando uma vontade de regressar superior a 70%.

 

Fonte: Expresso

Fecha: 
Quarta, Fevereiro 8, 2017