TINTA PRODUZIDA COM POLUIÇÃO

Será possível transformar a poluição emitida pelos automóveis numa coisa boa? Segundo a empresa Graviky Labs, tal pode mesmo ser feito: transformando-a em tinta. E de alta qualidade.

Uma startup nascida nos laboratórios do famoso Instituto de Tecnologia de Massachusetts acredita que a poluição – considerada um dos maiores flagelos do planeta desde a Revolução Industrial, no século XIX – pode converter-se em algo aproveitável, ao mesmo tempo que deixa de ser um problema para a humanidade. Por outras palavras, a Graviky Labs propõe-se escrever, com uma tinta bem diferente – que a companhia designa de Air-Ink (“tinta de ar”) – uma outra página na história sobre o futuro do planeta.

A startup transforma a poluição automóvel em tinta, recorrendo a um equipamento denominado Kaalink, o qual, depois de acoplado ao tubo de escape, consegue reter até 95% das partículas, deixando passar apenas os gases. Uma vez capturadas, essas partículas são depois sujeitas a vários processos químicos, visando limpá-las de todos os agentes cancerígenos e metais pesados, resultando por fim naquilo que é descrito como “um pigmento purificado rico em carbono”.

Ainda segundo a Graviky Labs, a captura de emissões num espaço de 45 minutos permite produzir 29 ml de tinta, quantidade suficiente para, por exemplo, encher o carregador da caneta que a companhia está a oferecer no âmbito da campanha de lançamento deste novo produto. No horizonte, está também tinta para impressoras.

Conheça esta inovadora start-up, aqui. (http://www.graviky.com)

 

Fonte: Observador

Fecha: 
Quinta, Fevereiro 23, 2017